Entre em contato Vou fazer uma pausa das vendas enquanto estou de ferias e a alfândega no Brasil estiver instável. Por isso apenas receberemos encomendas trimestrais no Instagram ou Whatsapp. Agradecemos pela compreensão, paciência e apoio.
Add to cart
Oferta!

Gorillaz – Demon Days

R$279,90 Em até 2x de R$139,95 sem jurosEm até 12x de R$26,45 com juros R$265,91 no Pix

Lacrado, Novo, 2 LP , 2005

Compre com segurança

  • Produtos novos e lacrados
  • Embalagem segura
  • Envio internacional com tudo incluso
Pague com segurança e garantia 

Gorillaz – Demon Days

 

Demon Days é o segundo álbum de estúdio da banda virtual britânica Gorillaz. Foi lançado no dia 11 de maio de 2005 no Japão, depois em 23 de maio de 2005 no Reino Unido e em 24 de maio do mesmo ano nos Estados Unidos. Demon Days ganhou o primeiro lugar no Reino Unido e o sexto nos EUA, desbancando então o outro álbum de 2001, Gorillaz. A produção do álbum ficou, em sua maior parte, a cargo do músico Danger Mouse, da dupla Gnarls Barkley. Foi o 11º álbum mais vendido do mundo em 2005, de acordo com um relatório da IFPI, a Federação Internacional da Industria Fonográfica.

Demon Days entrou nas listas dos 100 maiores álbuns da década de 2000 da NME e da Complex, ficando na 98ª e 43ª posições, respectivamente. Ele também ficou em 75º lugar na lista dos 150 principais álbuns da década da Uncut, além de ter integrado a lista da Spin dos “300 melhores álbuns lançados entre 1985 e 2014”.

Em “Demon Days”, o Gorillaz apresenta ritmos e visuais cheios de estilo, cravando sua marca como uma das mais ousadas já lançadas na música. Lançado em 2005, “Demon Days” é o segundo álbum de estúdio do Gorillaz. As músicas de “Demon Days” possuem uma estética que mescla rock alternativo, hip-hop e pop em uma abordagem psicodélica muito bem construída. Dentre as excelentes faixas do álbum, o destaque fica com os singles “Dare”, “Feel Good Inc” e “Dirty Harry”.

O álbum tem contribuições de De La SoulNeneh CherryMartina Topley-BirdRoots ManuvaMF DOOMIke Turner, Bootie Brown do The PharcydeShaun RyderDennis Hopper, o London Community Gospel Choir e Children’s Choir of San Fernandez.[2][5]

A capa do álbum é uma referência ao Let It Be de The Beatles e à arte de Blur: The Best of, o mais vendido álbum do Blur, a primeira banda de Damon Albarn, cofundador dos Gorillaz.

Demon Days foi mencionado pela primeira vez em artigos detalhando a reabertura do website dos Gorillaz na primeira quinzena de dezembro de 2004. Inicialmente, foi anunciado que o álbum seria lançado entre março e abril de 2005, mas o lançamento foi adiado. Em um artigo para a “Q Magazine” em fevereiro de 2005, foi dito que o álbum se chamaria We Are Happy Landfill. Outro título anterior a esse foi “Reject False Icons“, que é também o título do projeto cultural dos Gorillaz.

Em janeiro de 2005 foi lançado um promo da música “Dirty Harry” e um vídeo exclusivo na internet chamado “Rock It”. Mais tarde foi contado que a faixa “Rock It” não apareceria no álbum, e sim na coletânea D-Sides, lançada em novembro de 2007.

Antecedentes e gravação

Enquanto Jamie Hewlett estava trabalhando com sua equipe em um roteiro para um possível filme do Gorillaz, Damon Albarn ainda estava gravando o álbum Think Tank com o Blur. Quando Albarn estava pronto para começar a escrever e gravar material para o filme Gorillaz, toda a ideia já havia sido descartada, embora as ideias do roteiro do filme ainda fossem usadas, incluindo os temas de ser impulsionado pelo ego e o mundo estar preso em um noite sem fim.

Apesar disso, a principal fonte de inspiração do álbum veio na verdade como resultado da viagem de trem de Albarn de Pequim para a Mongólia, onde ele, sua parceira e sua filha de seis anos passaram um dia viajando pelo que ele descreve como uma “estranha, não falada, parte esquecida da China.

Basicamente, eram árvores mortas, até onde a vista alcança”, lembra Albarn. “Poeira, terra solta se transformando rapidamente em deserto. Há pequenas cidades-satélite no meio desses semidesertos que estão absolutamente de joelhos. E esta área é do tamanho da Europa. E então você acorda de manhã com este pesadelo em sua cabeça e é um céu azul e uma bela areia, que parece fantástico agora, mas provavelmente era outra coisa há milhões de anos. E isso vai acontecer conosco em nossa vida”.

“Gorillaz faz dark pop; é isso que eles sempre se propuseram a alcançar”, disse Albarn em uma entrevista à MTV News. “Todo o álbum meio que conta a história da noite – ficar acordado durante a noite – mas também é uma alegoria. É o que estamos vivendo basicamente, o mundo em um estado de noite”.[18]

Para a produção de Demon Days, Albarn recrutou Danger Mouse no lugar de Dan “The Automator” Nakamura, que havia produzido o álbum de estreia do grupo. O líder do Gorillaz escolheu Danger Mouse após ouvir o The Grey Album, que o levou à fama por misturar o White Album dos Beatles e o Black Album de Jay-Z. Segundo Albarn, “Dan [The Automator] não estava ocupado, o projeto apenas precisava de uma abordagem um pouco diferente”. Ele completou: “Danger Mouse, na minha opinião, é um dos melhores jovens produtores do mundo. Acho que o último álbum foi muito mais simplista. Era um território virgem – hip-hop animado, reggae, stroke-rock, rock latino – há muito mais complexidade com este álbum”.

Danger Mouse disse: “Foi incrível quando houve interesse de Damon. Eu ouvi demos do novo álbum, mas a maior parte foi ter a chance de fazer parte de algo que é tão forte – você apenas tem que pular. Tive um ano com altos e baixos (2004), mas foi definitivamente um grande passo quando eu tive a chance (de trabalhar com o Gorillaz)”.

Musicalidade

O site Sputnikmusic escreveu que o estilo do álbum “é uma forte incursão na fusão do hip-hop com pop e rock”. A Odyssey disse que o álbum era “um dark pop apocalíptico no seu melhor, mais estranho e mais atual”. A revista Vice chamou o álbum de “obra-prima do pop britânico” e escreveu que sua música “oscila entre o rap britânico, rock alternativo, piano-pop, trip-hop, reggae e psicodelia dos Beach Boys”.[21] A Spin descreveu o álbum como uma “expedição folk-disco-hip-hop-afro-pop-punk furtiva”.[22] Mike Schiller, da PopMatters, descreveu “Last Living Souls” como “piano pop ao estilo de McCartney”.

Informação adicional

Peso0,620 kg

Lista de faixas

A1Intro
A2Last Living Souls
A3Kids With Guns
A4O Green World
B1Dirty Harry
B2Feel Good Inc.

Featuring – De La Soul
B3El Mañana
C1Every Planet We Reach Is Dead
C2November Has Come
C3All Alone
C4White Light
D1Dare
D2Fire Coming Out Of The Monkey’s Head
D3Don’t Get Lost In Heaven
D4Demon Days
Parcelamento
1x de R$279,90 sem jurosR$279,90
2x de R$139,95 sem jurosR$279,90
3x de R$97,04 com jurosR$291,12
4x de R$73,49 com jurosR$293,96
5x de R$59,37 com jurosR$296,85
6x de R$49,95 com jurosR$299,70
7x de R$43,23 com jurosR$302,61
8x de R$38,19 com jurosR$305,52
9x de R$34,28 com jurosR$308,52
10x de R$31,14 com jurosR$311,40
11x de R$28,58 com jurosR$314,38
12x de R$26,45 com jurosR$317,40